sábado, 6 de agosto de 2011

Vamos? [velejando].

Ta, vou te ajudar.

Vamos puxar essa âncora. Estique a vela. Isso. Vamos. Força, sozinho também não agüento. Aí, ficou bom!!

Aponta pra lá! O vento faz o resto.

Segure o leme, agora vá só administrando a coisa.

-Mas quem ta guiando? Eu ou o vento?
-Quem guia é você, quem empurra é o vento, o vento faz a parte dele e você a sua.
- Mas se eu for pra lá, foi por minha causa ou por causa do vento?
- O fato de você ter ido, foi por causa do vento, agora o “pra lá”, foi por sua causa.
-Então quer dizer que eu ia de qualquer jeito?
-Sim, iria de qualquer jeito! Mas... Iria pra onde?
-hmm... Entendi. Então “ir pra lá” é um conjunto?
-Isso, é o resultado de “ir” com “pra lá”, como na escrita mesmo.

Então? Vamos pra lá?

Eu entro com o “vamos” e você guia o “pra lá”

Um comentário:

  1. Ser vento tem as suas vantagens, né?

    (Tudo bem contigo, guri?)

    Um beijo.

    ResponderExcluir